terça-feira, 17 de junho de 2014

Fiat Palio 2ª Geração


    Projetado para substituir o Uno em países emergente, o Palio, seu projeto foi iniciado em 1992 e seria direcionado aos países emergentes (América Latina, Leste Europeu, África do Sul e Alguns países asiáticos). Para o mercado europeu, ficou o Punto, mais refinado que o Palio que posteriormente chegou ao Brasil. Seu desenho era uma obra do instituto I.DE.A, linhas arredondadas lhe conferiam modernidade frente ao estilo mais geométrico do Uno, porém ambos conviveram até o final de 2013, quando finalmente por conta da legislação o Palio finalmente tomou o lugar de veículo de entrada da marca italiana em solo nacional, ficando a segunda reestilização do Palio em seu lugar, das três restilizações sofridas pelo Palio ela foi a mais bem resolvida e data do ano de 2004, seu desenho embora mostra sinais da idade, mas fica evidente que os carros da Fiat no Brasil têm um visual durável.
  Após o Gol "geração III", o mercado automotivo nunca mais foi o mesmo, uma profunda remodelação de uma base antiga ou mesmo, uma mudança cosmética simples para aliviar o peso das plataformas já antigas ganhou a alcunha de nova geração, mas foi apenas no final de 2011, que o Palio entrou em sua segunda e atual geração. Tudo no carro é novo, as dimensões do carro foram aumentadas, incluindo o entre-eixos que passou dos 237 cm para 242 cm, pode não parecer muito, mas é um bom ganho de espaço em um automóvel compacto, o peso também aumentou, de 986 kg em seu lançamento em 1996, para os autuais 1062 kg no modelo atual, mas devemos considerar o fato de que os carros de hoje trazem muito mais equipamentos de conforto e segurança do que os carros de quinze anos atrás, no entanto o Palio não está sozinho neste movimento de engorda.
  Na parte do desempenho o Palio vai do motor 1,0 litro ao 1,6 litro e é dividido em versões, sendo que cada uma delas oferece um desempenho distinto ao modelo sendo elas: Na entrada temos a versão Attractive como motor Fire Evo 1,0 litro que desenvolve 75 cv de potência a 6.250 rpm e torque de 9,9 kgf.m a 3.850 rpm, sua aceleração de 0 a 100 km/h fica na casa dos 15 segundos e a velocidade máxima em 157 km/h. Ainda na Atractive tem a opção do motor 1.4 Fire Evo que desenvolve 88 cv a 5.750 rpm e torque máximo de 12,5 kgf.m, sua aceleração da imobilidade aos 100 km/h é cumprida em 12,2 segundos e sua velocidade é de 173 km/h. Nas versões Essence e Sporting o motor utilizado é o E-torq 1,6 litro de 16 válvulas, basicamente o mesmo motor dos primeiros Mini e alguns modelos da Chrysler, esse motor foi fruto de uma parceria entre a Chrysler e a BMW. Após a incorporação da Chrysler a Fiat passou a utilizar em toda linha nacional com algumas modificações. Esse motor desenvolve a potência máxima de 117 cv a 5.500 rpm e o torque chegando aos 16,8 kgf.m a 4.500 rpm, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 9,8 segundos e chega aos 193 km/h de velocidade máxima, em ambas as versões é oferecido o cambio automatizado Dualogic. O palio mudou muito na atual geração, teve uma ascensão dentro da linha Fiat e acabou se tornando uma opção interessante entre os compactos mais completos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...