quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Chevrolet Camaro (1993-2002)


    A quarta geração do Camaro chegou com um desenho mais arredondado, claramente a inspiração era nos esportivos japoneses que no ínicio da década de 1990 invadiram o mercado americano. Apesar do novo design, muito era aproveitado da geração anterior onde predominavam as linhas retas e angulosas, basicamente ficou do modelo anterior o assoalho e a suspensão traseira, os para-lamas dianteiros eram fabricados em plástico e a suspensão dianteira abandonava a arquitetura McPherson dando lugar a uma de braços sobrepostos, a caixa de direção passou a ser do tipo pinhão e cremalheira, mais leve e eficiente do que o sistema de rosca e sem fim que equipava as três gerações anteriores, o design moderno para época era ressaltado pelo teto pintado de preto em todas as versões.
Camaro de 1993, linhas arredondadas e teto pintado de preto em todas as versões.
  Os Camaros mais básicos eram equipados com motor V6 de 3,4 litros de 160 cv, o topo de linha, o Z/28 trazia o V8 LT-1 que era usado no Corvette porém, com menor potência rendendo 275 cv líquidos, na prática o Camaro mais potente desde 1967, a redução de potência era imposta pela GM de modo que o Corvette não enfrentasse concorrência interna, ficando cada carro com seu público específico. O conversível deixava novamente de ser oferecido, mas haviam novidades na transmissão, uma caixa automática de 4 velocidades e a nova manual de 6 marchas, os freios passaram a contar com sistema antitravamento ABS e as rodas eram de 16 polegadas. O Camaro foi novamente o Pace-Car das 500 milhas de Indianápolis.
Camaro Pace-Car das 500 Milhas de Indianápolis de 1993.
  1994 trouxe novamente o conversível, ao contrário da primeira e da terceira geração as torções da carroceria foram amenizadas. No cupê a única alteração era o câmbio 4L60, que contava com controle eletrônico. Após um ano, o Z/28 ganhava controle de tração, útil em dias de chuva e no inverno rigoroso de algumas localidades onde o carro era vendido. Na versão básica um novo motor V6 de 3,8 litros e 200 cv, em 1996 era o único V6 oferecido. A versão RS retornava e contava com aerofólio traseiro, defletor dianteiro e saias laterais. O Z/28 ganhava mais 10 cv de potência, o SS retornava com rodas de 17 polegadas, o motor era recalibrado e rendia 305 cv, o Camaro mais potente desde a adoção da medida de potência liquida em 1971.
Retorno do conversível em 1994, agora com menor torção da carroceria.
  Em 1997, havia uma edição comemorativa dos 30 anos do Camaro que vinha na cor branca com faixas laranja que seguia o estilo do Pace-Car das 500 milhas de Indianápolis   de 1969, no total 103 unidades do SS foram fabricadas com o motor V8 LT4 de 330 cv que vinha do Corvette. Em 1998, os faróis quadrados montados em posição recuada eram substituídos por conjuntos de refletores duplos rentes a carroceria, a única mudança estética dessa geração. O V8 LS1 do Corvette era o primeiro motor V8 feito totalmente em alumínio desde o ZL-1 de 1969, com cilindrada de 5,7 litros, desenvolvia 305 cv na versão normal e 320 cv quando equipado com compressor, o V6 de 3,8 litros continuava a desenvolver 200 cv. As alterações irrelevantes no Camaro demonstravam o desinteresse em manter o carro em linha.
Versão comemorativa de 30 anos, faixas na cor laranja, uma homenagem ao Pace-Car de 1969.
  Poucas alterações em 1999, o V6 recebia acelerador eletrônico, aviso sobre a troca do óleo e diferencial autoblocante  Torsem. Em 2000 poucas alterações, comandos do sistema de áudio no volante, retrovisores externos na cor da carreceria e disqueteira para 12 discos. Para 2001, novas rodas de 16 polegadas, 5 cv extras no motor LS1 do Z/28 sem supercharger e cambio automático de série para os conversíveis equipados com motor V6.
Ultima alteração relevante da geração, faróis dianteiros rentes a carroceria e refletor duplo nesse SS de 2001.
  Junto ao 35º aniversário do Camaro, a produção era encerrada, a versão comemorativa podia vir com carroceria cupê ou conversível e contava apenas com faixas decorativas. Sem maiores cerimonias o Camaro era descontinuado na fabrica de St.Therese em Quebec no Canadá após 4,78 milhões de unidades vendidas em 35 anos de produção. O Camaro havia deixado uma legião de fãs do modelo desamparados, até que em 2006 surgiu um carro conceito que reviveu o nome Camaro anos depois, mas esse fica para a próxima semana.
2002, após 35 anos a versão especial marcava a tímida despedida de um ícone.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...