quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Ford Ranger Sport


  A segunda geração da Ford Ranger era lançada nos Estados Unidos em 1993, com linhas arredondadas, portas maiores e vidros rentes a carroceria, a picape ganhava modernidade em seu desenho, frente ao estilo quadrado da primeira geração. Em outubro de 1994, durante o Salão do Automóvel de São Paulo, era apresentada a Ranger em solo brasileiro, a picape média vinha importada dos EUA, disponível nas versões XL com cabine simples e acabamento simples e STX de cabine estendida que além do interior mais luxuoso, trazia grade dianteira e para-choques cromados e rodas de alumínio. Nas duas versões ar-condicionado e freios com ABS no eixo traseiro eram de série, o motor era o 4.0 V6 com 160cv e 31,1 kgf.m de torque máximo. A Ranger era mais baixa do que as pick-ups nacionais da época, seu conforto era comparado pelos donos ao de um automóvel e o desempenho realmente lembrava um, a velocidade máxima era limitada aos 171km/h e a aceleração de 0 a 100km/h era cumprida em apenas 10 segundos, mas havia uma desvantagem, mesmo sendo uma picape média a Ranger tinha capacidade de carga de apenas 650kg, o que a colocava muito próxima das picapes derivadas de carros compactos.
Ranger STX, cabine estendida e detalhes cromados identificam a versão ainda importada dos Estados Unidos.
  Em 1997, a Ranger passava a ser produzida na Argentina, o Brasil era beneficiado pela isenção de impostos, fruto de acordos feitos anteriormente pelas duas repúblicas. Na versão XL vinha agora com um motor de quatro cilindros que era velho conhecido dos brasileiros, o 2.3 OHV que equipou o Maverick, Jeep, Rural e F75 nos anos 70, esse motor foi ainda exportado para os Estados Unidos para equipar o Mustang nos anos 80. Com injeção eletrônica multiponto o 2.3 rendia 114cv e tinha torque máximo de 18,7kgf.m, bem menos vigoroso que o V6 da versão americana, mas por aqui ele era suficiente para concorrer com a picape S10 da Chevrolet, sua principal concorrente.
1997, fabricação argentina ainda com o estilo americano, porém agora com o motor 4 cilindros 2.3 a gasolina.
Ranger 1998, chassi da 4x4 americana, perdeu o jeito de carro de passeio, ganhou em robustez e capacidade de carga.
Ranger 2008, a reestilização marcava os 15 anos da segunda geração da picape.
  Em 1998, a picape vinda da Argentina passava a utilizar o chassi da Ranger 4x4 americana, mais robusta perdia o jeito de automóvel ficando mais alta e apta para cargas, agora a capacidade de carga ficava entre os 740 e 1100kg, havia ainda a opção pelo motor a diesel e tração nas quatro rodas. Após diversa mudança, em 2008 chegava o modelo Sport, disponibilizada apenas na versão de cabine simples, ela vinha equipada com o motor 2.3 a gasolina que rendia agora 150cv, entre os equipamentos de série estava ar-condicionado, controle elétrico dos vidros e trava, cd player com mp3 e rodas de 16 polegadas com pneus 245/70 do tipo All Terrain, ou todo terreno. Em 2010, enquanto completava 15 anos, a segunda geração recebia sua última reestilização, que pode ser vista no desenho que abre a postagem, sem novidade mecânica ela ficou em linha até 2012, quando a Ranger de terceira geração, uma picape global passou a ser fabricada na Argentina e consequentemente chegando ao mercado brasileiro.

3 comentários:

  1. olá! a ranger stx estendida é um carro maravilhoso em durabilidade e qualidade e contando com força e um histórico muito bom que agrada e deixam antigos donos com vontade de voltar a te-la novamente em sua garagem.
    porém um grande problema é a reposição de peças que no brasil é muito caras e se importar pode ser ser barradas na alfandega que por sua vez o preço da um salto absurdo

    ResponderExcluir
  2. olá! a ranger stx estendida é um carro maravilhoso em durabilidade e qualidade e contando com força e um histórico muito bom que agrada e deixam antigos donos com vontade de voltar a te-la novamente em sua garagem.
    porém um grande problema é a reposição de peças que no brasil é muito caras e se importar pode ser ser barradas na alfandega que por sua vez o preço da um salto absurdo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a Ranger STX é uma excelente picape, na verdade um carro de passeio com motor forte e caçamba, um veículo recreativo para um uso esporádico como utilitário.
      O problema com peças infelizmente não é mérito apenas dos importados, alguns nacionais dos anos 90, principalmente os médios ou com pouco volume de venda também sofrem com isso, o Brasil é um país difícil de ser compreendido, aqui é preferível um carro rodar sem condições minímas ou adaptações do que liberar a entrada de peças por importação independente, abraço.

      Excluir

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...