quarta-feira, 28 de outubro de 2015

A eterna busca por mecânicos confiáveis.

 
Encontrar uma oficina ou um mecânico de confiança não é tarefa simples, existem diversos fatores que tornam essa busca ainda mais complicada. No Brasil, temos alguns agravantes, profissionais desonestos, outros que não investem em capacitação e reciclagem e por último, aquele que tem boa vontade, porém não tem conhecimento. Proprietários de carros mais antigos tendem a ter menos problemas, já que algumas mecânicas são velhas conhecidas dos mecânicos antigos, algumas equipam até carros mais recentes com algumas alterações, mas quando falamos de carros de projeto mais atual ou importados, a coisa é ainda mais desesperadora.
  Existem diversas maneiras de conhecer uma oficina ou um profissional, indicação de familiares e amigos, busca por serviços especializados na internet e, até mesmo um imprevisto, imagine uma situação onde seu carro pare do nada, você olha para o lado e acaba dando de cara com uma oficina e um mecânico prestes a vir te ajuda. No campo da indicação, nem tudo é unanimidade, o profissional que agrada uma pessoa, pode não agradar a outra, assim como o modelo de carro pode ser especialidade ou não de determinada empresa, a pessoas pode ter critérios diferentes como preço, serviço diferenciado, confiança construída, são vários fatores e, existem oficinas que agradam todo o tipo de pessoal e bolso, uma pessoa com o mínimo de conhecimento técnico têm uma desconfiança apurada e debatem com o prestador de serviço até sentirem conforto em testar os seus serviços, pessoas apressadas e leigas podem gastar rios de dinheiro em serviços desnecessários, é um universo amplo e complexo.
  O ambiente da oficina pode trazer sensações que se confirmem ou não durante o contato pessoal, o cliente deve demonstrar o que necessita, uma revisão básica, solucionar algum barulho vindo da suspensão ou uma falha no funcionamento do motor, ele tem o direito de dar palpites, mas nunca ordenar a troca de algum componente pela seu nome e aparente função. O profissional durante o diagnóstico prévio deve ser observado por quem busca o serviço, quando o mecânico coloca defeitos no modelo com base em experiências passadas, as chances são grandes dele te passar a perna, quando reclama da dificuldade de mexer no seu carro por ser importado, ou ter mecânica complicada, é quase certeza da falta de preparo e por último, o pior tipo de todos, o terrorista. O mecânico terrorista tira seu dinheiro pelo medo, ele levanta seu carro, percorre a suspensão, e te chama com certa autoridade e solta a frase clichê que muita gente cai: "Você tem sorte de ter chegado até aqui, o senhor(a) correu um grande risco de vida, sua suspensão esta detonada!". Após dizer essa pérola, mesmo que seu carro esteja em perfeitas condições, ele pegará alguma ferramente e forçara os componentes que demonstraram folga, porém, folgas na suspensão devem ser verificadas com o veículo em sua posição de trabalho normal, no solo. Quando se deparar com esse tipo, peça que monte o carro e procure por outro profissional, não caia na lábia dele e, preste atenção nos barulhos que os carros iram fazer ao sair do estabelecimento, esse tipo de mecânico não é ético ou profissional e, pode ser potencialmente vingativo, deixa propositalmente componentes soltos ou substituindo por algum danificado.
  O tamanho e a limpeza de uma oficina não diz muito sobre os profissionais que ali trabalham, uma empresa que trabalha em seu limite, dificilmente terá tempo de manter tudo limpo, um estabelecimento extremamente limpo, onde o piso é claro, mecânicos trabalham de branco e há uma preocupação com a higiene e o bem estar nem sempre prestará o melhor serviço, organização, segurança do profissional no atendimento, cortesia e boa educação são indicativos de um profissional integro. Uma boa oficina sabe negociar com o cliente, propõe os serviços mais urgentes e, usa da transparência como sua estratégia de fidelização, as peças trocadas não ficam apenas no orçamento, mas estão a disposição do cliente para ver o estado em que elas estavam e eventualmente para que ele as leve. A cortesia como a troca de uma lâmpada queimada, também é uma forma de cativar o cliente, a relação entre profissional e cliente pode ser conturbada, mas cabe aos técnicos a mudança do conceito de mecânica para o cliente,afinal, aprendemos com a desonestidade de muitos a desconfiar de todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...