segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Recall: falta de qualidade ou sinônimo de respeito?

  Como sabemos, o brasileiro tem costumes estranhos quando o assunto é carros, algumas coisas completamente comuns no resto do Mundo, aqui é sempre motivo para piadas, desconfiança ou complicação. Aproveitando o recente escândalo envolvendo o Grupo Volkswagens, onde as análises de emissões de poluentes era fraudada de forma eletrônica, situação que pode gerar o maior recall da história automotiva mundial (abordaremos o caso em breve), estima-se 11 milhões de veículos envolvidos, vamos desmitificar os chamados das montadoras para reparos de projeto ou troca de componentes que possam apresentar defeito, com potencial para fatalidades.
  Primeiro vamos definir o que significa um recall, esse tipo de ação é comum no setor automotivo, mas não fica restrito a veículos e seus componentes. A palavra tem origem na língua inglesa e é utilizada para definir o chamado generalizado de consumidores de determinado produto ou serviço afim de evitar possíveis acidentes decorrentes do consumo dos mesmos, inclusive o recall é uma ação de responsabilidade prevista em lei. O chamado tem como objetivo preservar e proteger a vida, saúde e integridade do consumidor, além de ter como objetivo evitar danos materiais e morais. Prevenção e reparação de danos nesse caos andam juntas, uma vez que o objetivo é de sanar defeitos, consequentemente prevenindo riscos.
  As ações de um recall pode envolver a retirada do mercado, reparação e em casos extremos a recompra do produto defeituoso pelo fabricante, esse caso ocorreu alguns anos atrás com a picape Pantanal fabricada pela Ford, todas unidades foram recompradas pela Ford e destruídas devido a uma grave falha estrutural no chassi. O chamado deve ser feito de forma gratuita e efetiva, a comunicação deve atingir todos os consumidores do produto ou serviço, a legislação exige que o comunicado seja feito por meio de veículos de comunicação de massa como, TV, rádio e jornais impressos, muitas vezes os consumidores são contados também por meio de e-mail, carta ou telefonemas.
  Assim como fabricante, o consumidor tem o dever de atender o chamado, uma vez que está em risco a sua segurança e a de terceiros, o consumidor deve recorrer ao chamado da forma mais rápida possível, comparecendo a rede autorizada ou, agendando o serviço, não há data limite para a execução do serviço ou reparo, mas como é algo que envolve segurança é recomendável atender o quanto antes. O consumidor deve exigir comprovante dos serviços realizados de forma detalhada e, no nosso caso onde falamos de carros, essa documentação deve ser anexada aos documentos do veículo e repassadas posteriormente ao próximo dono em caso de venda do bem. Desde 2011, é possível consultar se um veículo atendeu ao chamado de recall através do site do DENATRAN, a consulta é simples, bastando digitar o chassi do veículo e repetir os dígitos que aparecem na tela. Caso o motivo do comunicado já tenha decorrido em algum dano, o consumidor deve pedir reparação dos danos na justiça.
  No Brasil, quando existe um recall, temos um grande estardalhaço nas redes sociais, as pessoas questionam os motivos, alguns dizem que os carros mais antigos eram mais duráveis e não tinham esse tipo de problema, mas o culpado acaba sendo sempre a montadora, mesmo que o item seja fornecido por outro fabricante, afinal não existe fábricas de carros, as montadoras recebem componentes de diversos fornecedores, todo o processo de fabricação envolve interferência humana nas mais diversas fazes, afinal maquinas não trabalham sozinhas e não projetam coisas. O Homem está sujeito a falhas e isso pode sim refletir no produto final.
  O recall é uma clara demonstração de respeito ao consumidor, seria muito mais fácil e não haveriam custos caso os problemas fossem ignorados, afinal, quase sempre o o risco é potencial ee foi descoberto por acaso em algum teste. Um problema omitido pode ter um custo muito mais elevado para um fabricante, imaginem que determinado modelo apresente uma falha em diversas unidades, pessoas morrendo em decorrência dessas falhas, certamente haveria uma investigação sobre esses fatos semelhantes, provado que uma falha em um componente causaram essas mortes, a empresa passaria a ser processada e certamente desembolsaria milhões ou até bilhões em indenizações, caso que ocorreu com a GM nos EUA, referente a falhas no comutador de ignição de alguns modelos. Uma empresa séria admite seus erros e, têm seus consumidores como um bem valioso, afinal quem é respeitado e tem sempre um bom atendimento, certamente voltará a fechar negócios.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...