sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Jaguar XJ220, o quase fracasso do carro mais rápido de sua época.


  Alguns carros nascem para ser um marco na industria automobilística internacional, com o Jaguar XJ220 não foi diferente, mesmo que esquecido por alguns, o carro deixou sua marca na história em uma época conturbada e com concorrentes tão notáveis quanto ele. Quando o então de engenharia de produto da Jaguar Jim Randle resolveu trabalhar em carros da TWR (Tom Walkinshaw Racing), que corriam no Grupo B de turismo, categoria da qual a Jaguar estava afastada. Jim e outros 12 engenheiros trabalhavam sem o apoio da marca, o projeto que daria origem ao primeiro protótipo do XJ220.
XJR9 da TWR.
  Em 18 meses, estava pronto um carro inovador em termos mecânicos e de design, seu objetivo: ser o carro mais rápido do mundo. Após todo o trabalho feito em uma garagem em 1988, a jaguar resolveu apresentar o protótipo no Birminghan Auto Show de 1988. O sucesso diante o público e a imprensa foi imediato fazendo com que a fabricante mudasse seus planos, anunciando no ano seguinte que o carro seria produzido que os interessando deveriam dar um sinal de 50 mil libras, em uma semana foram mais de 250 interessados no carro, o valor total do carro foi divulgado um mês após a campanha para arrecadação de fundos, incluindo impostos e taxas era divulgado o valor de 600 mil dólares.
Protótipo com motor V12.
  Para a produção do carro, a Jaguar convocou apenas os melhores talentos da empresa, a tecnologia aplicada no XJ220 seria a mesma aplicada nas pistas e que conquistou em 1988, o titulo de LeMans para a montadora britânica. A versão exibida em Birminghan era equipada com motor V12 e tração nas 4 rodas, porém durante o desenvolvimento da versão de produção, a TWR responsável por desenvolver a mecânica, optou em usar um motor com 6 cilindros em V bi-turbo, afim de alcançar a potência necessária para as desejadas 220 mph presentes no nome do carro.
Motor V6 bi-turbo do carro de produção.
  O chassi era muito avançado para época, completamente feito em alumínio, era do tipo colmeia , o assoalho plano contava com tuneis para escoamento do ar que somado ao aerofólio traseiro e formato aerodinâmico da carroceria, davam ao carro o efeito de asa invertida, o mesmo utilizado na Fórmula 1 dos anos 80, esse formato faz com que o carro "grude" no chão quando a velocidade aumenta. A estabilidade era garantida pela suspensão baseada em carros de competição, o sistema independente nas quatro rodas era do tipo Double Wishbone com braços desiguais moldados em alumínio aeroespacial, seu comportamento foi amplamente elogiado.
  Como todo super-carro, o XJ220 não era uma boa escolha para o uso diário, apesar de bons os freios mostravam-se subdimensionados quando exigidos continuamente, não contavam com sistema ABS e, apesar de servo-assistido, o piloto tinha que aplicar força excessiva no pedal, a embreagem também exigia força no acionamento, além de ser demasiadamente pesada. O carro acomodava bem os ocupantes porém, o acabamento em couro Conoly não era algo desejável em um esportivo, mas ele estava ali para manter o padrão de luxo da Jaguar.
Interior revestido em couro Conoly.
  O V6 bi-turbo entregava 542 cv de potência e desenvolvia 65,7 kgf.m de torque máximo, a aceleração de 0 a 100 km/h era feita em apenas 3,8 segundos, a velocidade máxima era de 354 km/h, seu lançamento oficial foi durante o Salão de Tóquio de 1991, e logo foi consagrado como o carro de produção mais rápido do mundo. Apesar de quase ter fracassado, as primeiras unidades do XJ220 eram entregues aos compradores em 1992, fazendo dele o carro mais rápido do mundo até 1994, ano no qual o McLaren F1 tomaria seu posto com sua velocidade máxima que beirava os 400 km/h.
Na traseira, lanternas emprestadas do Rover 200.
  Apesar de sua vida tumultuada, a Jaguar alcançou seu objetivo com o XJ220, a última unidade das 275 fabricadas foi entregue no ano de 2001, a grande maioria foi entregue gradativamente durante a década de 1990. Apesar de ser um fracasso bem sucedido, o XJ220 não deve ser excluído de nenhuma lista onde são contabilizados os carros mais rápidos ou mais incríveis já fabricados. Uma curiosidade sobre o modelo, suas lanternas traseiras vinham do Rover 200, mas isso é mais comum do que se pensa no mundo dos super carros, nem sempre as peças são únicas e exclusivas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...