quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

O primeiro carro, modelos usados de até 15 mil reais.

  Todo jovem que nutre paixão por carros, sonha em tirar a habilitação e comprar seu primeiro carro. Alguns sonham com clássicos grandes com motores de alta cilindrada, outros preferem os esportivos e muitos, pensam em um carro mais sofisticado, geralmente um médio ou importado um pouco mais antigo. O processo para obtenção da CNH, é penoso, consome muito tempo e dinheiro, o que torna para a maioria das pessoas seu sonho distante, geralmente em dum duro golpe de realidade.
  O primeiro carro deve ser barato, ter manutenção simples e peças baratas, será o carro do qual as experiências serão inesquecíveis. Muitos dos carros que citados nesta postagem não são sonhos de consumo, são na verdade bem comuns, alguns com fama de fracos, mas acredite, qualquer primeiro carro traz junto uma enorme dose de diversão e aventuras. Evitaremos citar carros com carburador, já que para lidar com esse componente, a mão-de-obra especializada é escassa e, exige algum conhecimento de mecânica por parte de quem dirige, afinal, algumas manhas são colocadas em prática nesses modelos.
  A lista contempla alguns carros médios, é óbvio que nesse caso o custo de manutenção, consumo em alguns casos, tendem a ser maiores. Outros dos carros médios têm o problema quanto a encontrar peças distante dos grandes centros e, em casos de pequenos acidentes a que todos estão sujeitos, o conserto certamente será mais salgado. Os modelos serão escolhidos pela faixa de preço, dos R$ 8 mil ao R$ 15 mil, uma margem razoável, lembrando que alguns modelos se encontram por um valor inferior dependendo do estado de conservação ou região, a base de preços utilizadas sera do estado de São Paulo.

Compactos:

Chevrolet Corsa: Lançado no mercado brasileiro em 1994, o Corsa da segunda geração é um ótimo custo-benefício como primeiro carro. O projeto agrada bastante, apesar de ser um velho conhecido, os primeiros modelos contavam com um bom acabamento interno, é possível encontrar dentro da família Corsa um modelo que agrade a todos entusiastas, do hatch com versões 2 e 4 portas, motores 1.0, 1.4 e 16, passando pelo sedan 1.0 e 1.6, a perua com a mesma configuração de motores do sedan e pela pick-up. O Corsa de primeira geração também disponibilizou o motor de 16 válvulas, mas como falamos em um carro de manutenção simples, é melhor investir nos de 8 válvulas, já que é mais fácil encontrar um em bom estado de conservação. É possível achar modelos abaixo do valor mínimo proposto, sobretudo a versão Wind, a mais básica da linha.


Ainda dentro da linha Corsa, é possível comprar quando se tem mais recursos um modelo da terceira geração, conhecido como Corsa C ou Corsão, lançado em 2002 como modelo 2003, é um Corsa maior, com design mais moderno, as versões hatch, disponível apenas na versão 4 portas e, sedan, os modelos encontrados nessa faixa de preço trazem motorização 1.0 ou 1.8, sempre em versões mais básicas, mas pesquisando é possível encontrar alguma intermediária por pouco mais de R$ 15 mil.

Chevrolet Celta: Baseado sobre a plataforma do primeiro Corsa nacional, o Celta foi o carro de entrada da GM no país, lançado no fim do ano 2000 como modelo 2001, o Celta deixou de ser fabricado 15 anos após seu lançamento, a produção foi encerrada de forma silenciosa. O modelo passou apenas por uma grande reforma em 2006. Dentro do valor proposto é possível encontrar as 2 versões, garimpando e com muita sorte é possível encontrar a rara versão 1,4 ou o sedan da linha, o Prisma na faixa de preço proposta, é facilmente possível encontrar modelos 2012 por menos de R$ 14 mil.

Fiat Uno: Era para o Uno ter sido aposentado pelo Palio (falaremos dele a seguir) em 1996, porém, o sucesso do pequeno Fiat era tanto que permaneceu em linha até o final do ano de 2013, a partir do ano seguinte ele deixou de ser fabricado por não se adequar a lei que obriga air bag e ABS como itens de série. O Uno é um carro espartano ao extremo, principalmente na versão Mille, mas pra quem busca resistência e agilidade e economia, é uma boa escolha com motor 1.0, principalmente com o motor Fire adotado em 2001. Em 2004, o Uno passou por uma reforma visual de gosto duvidoso, no geral o modelo traz bons atrativos como espaço interno, suspensão independente nas 4 rodas e, mecânica robusta, os modelos equipados com motor Fire exigem mão-de-obra capacitada para a troca da correia dentada, mas todo o restante é de manutenção extramente simples, é possível encontrar modelos com motor 1.5 e 1.6 com injeção eletrônica, são mais antigos, bebem um pouco demais, mas são ótimos carros.



Fiat Palio: Lançado em 1996, tinha como tarefa aposentar o veterano Uno, tarefa da qual nunca conseguiu concluir.Dentro de nossa faixa de preço, o Palio é um dos carros que apresentam muitas variáveis mecânicas e de modelos derivados. Os mais antigos com motor Fiasa era disponibilizado nas versões 1.0,1.5 e 1.6, havia ainda o motor torque 1.6 16v. Com o tempo o Palio passou a contar com o motor Fire nas versões 1.0, 1.3 8 e 16 válvulas e, 1.4, além, de contar com o 1.8 8 válvulas de origem GM que deixa o pequeno Fiat ainda mais esperto. A manutenção é basicamente a mesma do Uno, devendo-se prestar atenção na correia dentada dos motores Fiasa que se desgastam antes do previsto e, na troca especializada nos motores Fire e Torque, já que ambos necessitam de ferramentas especiais, assim como o Corsa, o Palio tem seus derivados que podem ser encontrados nessa mesma faixa de preço como o Siena, Weekend e Strada.

Ford Ka: Confortável apenas para 2 pessoas, o Ka da primeira geração chegou ao Brasil com o motor Endura-E, um projeto antigo que equipava o Fiesta espanhol. O Zetec Rocam, passou a equipar o carro em 1999, mesmo na versão 1.0 o carro é muito esperto e, seu ponto forte é o comportamento, tanto que, é apelidado por muitos como um kart por sua ótima estabilidade e respostas diretas, o motor 1.6 na primeira geração era disponível nas versões Action e XR, ambas com apelo mais esportivo.

A segunda geração do Ka brasileiro, um pouco maior que a original, seguia utilizando os motores Zetec Rocam 1.0 e 1.6. O carro perdeu seu bom comportamento dinâmico, porém melhorou no espaço interno, o design continuou a ser controverso, mas dentro da nossa margem de preço, ele também é um bom candidato a primeiro carro. O Ka apresenta manutenção um pouco mais cara pela falta de espaço e, por que dificilmente você encontrará peças paralelas, porém, a durabilidade das peças é boa.

Ford Fiesta: O Fiesta passou a ser fabricado no Brasil em sua quarta geração, é uma alternativa maior ao Ka e, conta com a opção de motores 1.0 e 1.6 Zetec Rocam que utilizam corrente de distribuição e, o Zetec 1.4 16 válvulas que tem manutenção mais cara e complicada, mas seu comportamento é mais esportivo. A Quinta geração é apenas uma reforma visual dessa geração, onde a dianteira é mais agradável visualmente, junto com a sexta geração, vinha equipada com os motore 1.0 e 1.6 Zetec Rocam já velhos conhecidos dos carras da Ford, nessas 3 gerações encontramos carros na margem estipulada.


Volkswagen Gol: Um modelo consagrado como primeiro carro, usaremos aqui o Gol da segunda geração, o que contempla do icônico bolinha ao G4, o Gol vendeu por muitos anos uma imagem de solidez, resistência e bom custo-benefício. De fato é um carro que tem seus pontos fortes e, peças são facilmente encontradas em qualquer locar do país, os pontos fracos do Gol são poucos, entre eles o alto valor do seguro, já que é um carro muito visado para roubos. Os motores vão do famoso AP 1.6 e 1.8, CHT 1.0, passando pelo AT de 8 e 16 válvulas, bons motores porém com a manutenção mais cara e que exige certos cuidados e, nos últimos modelos o EA 111, até hoje empregado em modelos da marca. O Gol assim como outros modelos possuí derivados fáceis de serem encontrados nessa faixa de preço, nessa geração apenas a perua Parati e picape Saveiro integravam a linha.


Modelos médios: Alguns carros médios podem ser o primeiro carro, mas aqui, entramos em um universo diferente, carros maiores exigem maior atenção na hora de manobrar e, muitas vezes consomem mais combustível, aqui vão alguns exemplos de médios que podem ser encontrados nessa faixa de preço:

GM Astra e Vectra: Compartilham o motor 2.0 8v, aliás, no caso do Vectra as versões  8v têm manutenção mais em conta, o porém fica pela suspensão independente traseira que tem manutenção mais cara e exige atenção. Sobre o Astra, é um médio com manutenção de compacto, já que seu projeto é simples e objetivo.



Honda Civic: As gerações mais antigas do Civic estão bem em conta, nos grandes centros é relativamente fácil encontrar peças para esses carros, a pesar de médio, tem o consumo melhor do que muitos carros populares, os contras são as peças da suspensão que sofrem com nosso asfalto, peças com custo elevado e, exige conhecimento por parte do mecânico na hora das revisões.


Toyota Corolla: Assim como o Civic, tem em suas gerações anteriores o maior atrativo, preço de compra relativamente baixo, economia de combustível excepcional e, ao contrário do modelo Honda, conta com suspensão melhor adaptada as nossas condições, exige também conhecimento do mecânico, as peças apesar de caras têm uma excelente durabilidade.

Volkswagen Santana: A segunda geração do Santana nacional é bem acessível, apesar de ser um médio, tem a manutenção simples e barata, peças fáceis de encontrar, mas por se tratar de um projeto antigo, espaço interno não condiz com o tamanho do carro e, sofre dos mesmo problemas do Gol como túnel e longarinas frágeis, além do alto índice de roubo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...